Palestrante motivacional e comportamental, Consultora de marketing e treinamentos, Empresária, Escritora, Especialista em iDeias sobre a arte de seduzir
« voltar

Conheça a tênue linha que separa estímulo e abuso no Sexting

BLOG – ANDREIA BERTE – SEXTING

 

Conheça a linha tênue que separa estímulo e abuso no Sexting

 

Trocar mensagens com alto teor erótico pode ser uma boa maneira de apimentar as relações a dois, mas é preciso ter cuidado para não passar dos limites.

 

            Desde a década de 1980, quando o telefone começou a se popularizar, a relação entre a o uso das tecnologias e as descobertas de novas possibilidades nas relações a dois vêm se aproximando de maneira muito interessante. Naquela época, o sexo por telefone virou moda. Atualmente, ele deu lugar aos smartphones e aos vários serviços de mensagens instantâneas e, com esta mobilidade toda surgiu o Sexting, que é a prática de enviar e receber mensagens, fotos e vídeos com alto teor erótico ou até mesmo sexo explícito.

 

            Com a popularização das novas tecnologias e amplo acesso às redes móveis para navegação, o sexting se tornou uma prática comum. Uma pesquisa americana constatou que 88% de seus entrevistados já haviam praticado sexting ao menos uma vez. 74% destas pessoas trocaram mensagens com seus parceiros, em um relacionamento estável. 43% praticaram sexting casual e outras 12% trocaram mensagens com outras pessoas, mesmo em uma relação estável.

 

Porém, nem todo mundo vê graça nisso. Por isso, meninas, é superimportante ter alguns cuidados antes de decidir partir para o flerte mais apimentado com o celular na mão.

 

            A coisa mais importante é estar sempre muito bem convencida de que a outra pessoa também está disposta a ter esse tipo de conversa com você. Seja sutil. Ao encaminhar a conversa para um flerte, será fácil identificar se a pessoa do outro lado entendeu o seu recado pelas respostas que você receber. Por isso, respeite os limites de cada pessoa. Nada de mandar ‘nudes’ surpresas, sem que o gato esteja esperando. Além de deselegante, isto pode ser interpretado como abuso.

 

            Quando você já tiver certeza de que a outra pessoa ‘está na sua’, não pegue pesado logo de cara. O sexting é muito melhor aproveitado quando você é mais criativa com as mensagens. Explore a imaginação. Na maioria das vezes sugerir e provocar gerando curiosidade é muito mais excitante do que escancarar. Ao invés de enviar ‘nudes’ altamente reveladores e explícitos, enviar fotos de partes do corpo como um decote, os pés, das pernas, do bumbum isoladamente pode ser um convite melhor para algo mais (quem sabe pessoalmente) do que já entregar tudo de uma vez. Além disso evitar mostrar o rosto nas fotos, especialmente com alguém não tão íntimo é muito mais seguro. Cuidar da segurança e pensar no destino que essas fotos podem tomar na rede é essencial. Além disso, tudo o que você escreve ficará registrado, e você precisa sempre ter esta consciência. O importante é se divertir.

 

            Uma pesquisa apresentada há dois anos, pela Universidade de Toronto, revelou que casais que praticam o sexting fazem sexo de melhor qualidade.

 

Quer saber mais sobre este assunto? Participe da minha palestra ‘Sexting e Linguagem Erótica: o poder da comunicação sedutora e erotizante na era digital da globalização e informatização’, que faz parte do Workshop Plenitude Sexual. 10 módulos e m 9 semanas e ½ de amor. Clique aqui (link: https://www.sympla.com.br/workshop-plenitude-sensual-10-cursos-em-9-12-hot-semanas-de-amor__188902) e veja qual a próxima turma.



Beijokas,

Andreia Berté.

 

;)